spot_img

O futuro do livro na era digital

 

É impressionante notar que mais da metade da população ainda utiliza livros de papel para fazer suas leituras, mesmo com opções em formato digital

No mês de maio, ocorreu a e-Bienal de Pernambuco sobre o futuro do livro e da educação no Brasil. Dentre vários temas, foi bastante debatido o futuro do livro na era digital.

Um dado bastante interessante é que, mesmo diante do avanço tecnológico e cada vez mais obsoleta boa parte das ferramentas e objetos analógicos, o livro de papel permanece atual e presente no nosso cotidiano.

Levando em conta tudo o que foi alterado na maneira de consumir, principalmente em relação ao entretenimento após a virada do século 20 para o 21, é impressionante notar que mais da metade da população ainda utiliza livros de papel para fazer suas leituras. Comparando com a quantidade de pessoas que usam smartphones, tablets, computadores e dispositivos similares, esse valor é ainda maior.

“Eu sempre falo em sala que o livro não vai morrer, pois quando a TV chegou disseram que o rádio iria acabar e na verdade estamos vendo hoje uma nova roupagem do programa de rádio, que são os podcasts, com a vantagem de ouvirmos depois nas plataformas. Eu escuto muito que os alunos preferem o livro físico, gostam do contato com o papel.

Então eu acredito que os livros digitais são complementos do livro físico, pois, alguns preferem o livro digital, mas outros preferem os livros físicos. Independente do meio, o importante é que os estudantes continuem a ler”, relatou a professora de português do colégio GGE, Katilini Oliveira.

Pegando o gancho da professora, o colégio GGE possui um trabalho que incentiva a leitura, seja em meio físico ou digital, que é a Ciranda Literária.

O projeto da Ciranda Literária estimula a leitura de forma divertida, para que então se possa introduzir o hábito permanente. O cuidado na escolha de títulos que sejam atrativos às crianças, bem como o estímulo à leitura por parte de professores e família são cruciais ao andamento do projeto. Entretanto, além deste projeto, os professores sempre buscam incentivar a leitura e trazer ao conhecimento dos alunos os benefícios de manter esta prática na rotina.

“Antigamente as escolas só cobravam dos alunos a leitura dos clássicos obrigatórios da literatura antiga, cobrados nos vestibulares em geral. Mas nós sabemos que esta geração atual não aprende só com os clássicos, o aluno digital é incentivado a ler diversos gêneros textuais, sem abandonar a leitura dos clássicos. Eu sempre os incentivo a ler aquilo o que gostam.

Diversos filmes partiram de livros, então eu cito o filme e quando assistem, ficam interessados em ler o livro e se aprofundar na história e começam a ter uma concepção diferente. Independente do gênero, incentivo os alunos a leitura de jornais, editoriais, revistas, o que eles gostarem, porque qualquer tipo de leitura enriquece, aflora a criatividade e faz com que eles também escrevam melhor”, concluiu a professora.

O que se pode entender é que hoje existe uma convivência de muitos formatos e as pessoas estão lendo muito mais do que no passado, graças aos aparelhos digitais, e estes aparelhos, na verdade, ajudam a formar leitores do livro de papel.

 

 Clique na imagem para escolher um dos planos e venha falar conosco.   

spot_img

Faça seu comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_imgspot_img

Artigos Relacionados

spot_img

Siga-nos!

2,198FãsCurtir
148SeguidoresSeguir
5,920InscritosInscrever

Últimas postagens