spot_img

Governo de Pernambuco faz balanço dos 30 dias do “novo normal”

Economia do Estado aponta sinais animadores de recuperação após implantação total do Plano de Convivência com a Covid-19

O Governo de Pernambuco apresentou, nesta quinta-feira (03.12), um balanço dos 30 dias da implantação total do Plano de Convivência das Atividades Econômicas com a Covid-19. De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach, os números apontam que a economia está em processo de recuperação no Estado. Pernambuco está há cinco meses consecutivos em crescimento, tanto no Índice do Banco Central (IBC-Br), como nos dados do PIB divulgados pela Agência Condepe Fidem. Também foi registrada a criação de 52 mil vagas de emprego, o melhor desempenho do Norte e Nordeste.

“Conseguimos, mesmo em um ano difícil, anunciar a atração de investimentos da ordem de R$ 3,5 bilhões para Pernambuco. O governador Paulo Câmara determinou que, mesmo com todo cuidado com a pandemia e a saúde das pessoas, nosso time não deixasse de cuidar da atividade econômica para gerar oportunidades, emprego e renda para a população”, pontuou Schwambach.

O Plano de Convivência foi elaborado levando em consideração o risco que a volta das atividades poderia trazer dentro do nível de contágio da pandemia. O Gabinete de Enfrentamento ao Novo Coronavírus elaborou um protocolo geral de funcionamento e alguns protocolos específicos por setor, sempre com três eixos de atuação: distanciamento social, higiene, e comunicação e monitoramento. “Foi neste momento que implantamos a obrigatoriedade de uso de máscaras, o distanciamento nas filas, a higienização das mãos e a etiqueta respiratória. Enfim, todos os itens necessários para que as pessoas pudessem voltar a trabalhar, produzir, gerar renda e recuperar a atividade econômica do Estado”, explicou o secretário.

O secretário Bruno Schwambach falou sobre a possibilidade de aumento de público para eventos e destacou também a missão do Plano de Convivência, que é organizar a volta das atividades sempre com cautela, levando em consideração os índices da pandemia. “Nossa expectativa era a de flexibilizar e liberar uma carga maior para o setor de eventos, a partir desta primeira semana de dezembro, mas os números apresentados recomendam uma cautela maior neste momento. Por isso, para a semana que começa na próxima segunda-feira, dia 07, vamos ficar com a carga que está estabelecida, atualmente, de no máximo 300 pessoas”, concluiu.

NÚMEROS DA SAÚDE – Na análise da Semana Epidemiológica 48, encerrada em novembro, assim como aconteceu em outubro, o Estado terminou o mês melhor do que começou em relação aos casos graves suspeitos para a Covid-19, com uma queda de 5,4% entre as semanas 45 e 48.

A 3ª macrorregião, cujas Gerências Regionais de Saúde são a 6, 10 e 11, com sedes em Arcoverde, Afogados da Ingazeira e Serra Talhada, foi a única com registro de queda, com oscilações negativas de 7% nas últimas duas semanas de novembro. “Até agora, as oscilações não configuram uma segunda onda, mas merecem a atenção e o reforço na adoção dos cuidados por parte de todos. O Governo do Estado vai continuar monitorando os dados com transparência e não iremos nos furtar a tomar medidas mais rígidas caso os adoecimentos e casos graves apresentem uma tendência clara e permanente de crescimento”, destacou o secretário de Saúde, André Longo.

TESTES – O secretário lembrou que, no início da pandemia,  por conta da escassez global dos testes, o Governo do Estado deu prioridade à testagem dos casos graves e dos óbitos. “O aumento de casos relatado na emergência de alguns serviços de saúde ao longo das últimas semanas e a elevação dos registros de notificação nos últimos dias têm relação direta com a elevação no número de casos leves que, por sua vez, está vinculada ao aumento de testagem. Desde o final de agosto, a testagem foi ampliada para todos os casos, mesmo que leves, e até mesmo assintomáticos, desde que contactantes domiciliares de pessoas que testaram positivo”, acrescentou Longo.

No começo do ano, o Laboratório Central de Pernambuco (Lacen-PE)  processava 70 amostras por dia. Hoje, após o investimento do Governo de Pernambuco na modernização do Parque Tecnológico, esse número saltou para cinco mil.

Atualmente, em Pernambuco, 77% dos exames de RT-PCR, padrão-ouro na detecção do novo coronavírus, foram processados pelo SUS, seja no Lacen-PE ou na rede contratada pela Secretaria de Saúde, o que coloca o Estado na 5ª colocação do País entre os que mais fizeram esse tipo de exame, de acordo com a Plataforma do Ministério da Saúde.

spot_img

Faça seu comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_imgspot_img

Artigos Relacionados

spot_img

Siga-nos!

2,198FãsCurtir
148SeguidoresSeguir
5,860InscritosInscrever

Últimas postagens