spot_img

Gleide Ângelo na linha de frente no combate à dependência financeira e à violência doméstica

Apesar do recesso legislativo, o trabalho pelo fortalecimento das mulheres pernambucanas promovido pela Delegada Gleide Ângelo não tem pausas. Na última sexta-feira (16), a deputada esteve presente do agreste ao litoral sul do estado colaborando com ações que, de diferentes maneiras, buscam combater a discriminação às mulheres, além de promover condições para a afirmação da dignidade e da cidadania feminina.

Em Tracunhaém, no agreste, a Delegada participou da inauguração da nova sede da Associação de Mulheres de Tracunhaém (AMUT). A organização não-governamental trabalha em defesa das mulheres da região, com ações que priorizam a qualidade de vida e a profissionalização da mão de obra feminina. Assim, também foi inaugurada uma loja no espaço, em que haverá a comercialização de produtos manufaturados produzidos pelas artesãs associadas. “A AMUT desempenha um papel social fundamental para o rompimento de diversos entraves e barreiras impostos às mulheres – especialmente no interior, onde ainda é gritante a materialização do machismo. Fico muito feliz pela conquista e sei que nossa parceria ainda vai render excelentes frutos”, comenta.

A parceria a que a parlamentar se refere diz respeito à implantação de cursos rápidos e oficinas para o empreendedorismo e geração de renda que serão oferecidas na sede da AMUT. O projeto resulta de uma importante articulação junto com o deputado federal Felipe Carreras (PSB) e deve sair do papel até o final do ano. “Estamos trabalhando para oferecer as condições necessárias para que muitas mulheres que vivem uma realidade de violência e agressões consigam sair do ciclo de abusos e conquistem a independência financeira com dignidade”, explica a deputada.

CAPACITAÇÃO – Após a agenda no agreste, Gleide ainda percorreu quase 100km até o Cabo de Santo Agostinho, onde participou do curso de Formação em Rede sobre “Humanização no Atendimento às Mulheres em Situação de Violência”. O evento é uma triangulação entre a Prefeitura daquele município, com a Secretaria da Mulher de Pernambuco e com a Polícia Civil. “As delegacias são uma das principais portas de entrada das denúncias de violência doméstica, familiar ou sexual. As vítimas estão extremamente vulneráveis e precisam ser atendidas com sensibilidade, acolhimento e atenção. Por isso, a capacitação e o treinamento dos policiais civis para este atendimento diferenciado é o ponto de partida para que todos tenhamos resultados positivos neste tipo de trabalho”, pondera a deputada que atuou por quase 20 anos na instituição.

spot_img

Faça seu comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_imgspot_img

Artigos Relacionados

spot_img

Siga-nos!

2,198FãsCurtir
148SeguidoresSeguir
5,720InscritosInscrever

Últimas postagens