spot_img

Alimento leva esperança para famílias carentes

 

Na primeira entrega de cestas de alimentos, Agro Fraterno beneficia famílias de Luziânia

Brasília (16/06/2021) – “Meu coração disparou quando vi a cesta chegando”. “Não é fácil ver um filho com fome”. “Os alimentos chegaram na hora certa”. “Não tinha comida para o dia seguinte”. Com frases como essas, famílias carentes de Luziânia receberam as primeiras doações de cestas de alimentos do Agro Fraterno.

No dia 1º de junho, o Sistema CNA/Senar, a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e as entidades do Instituto Pensar Agro (IPA) começaram as ações do programa com a primeira doação para os municípios goianos de Luziânia, Cristalina, Cidade Ocidental, Novo Gama e Santo Antônio do Descoberto.

Na ocasião também foi lançado o site do programa (www.agrofraterno.com.br), onde produtores, entidades e empresas poderão fazer os registros das doações.

Na primeira arrecadação, foram doadas 5.000 cestas de alimentos para distribuição aos municípios. Desse total, mil cestas de alimentos foram entregues entre os dias 7 e 13 de junho para famílias carentes de Luziânia, que são atendidas pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Trabalho, igrejas e Apae.

“Os alimentos chegaram em ótima hora. Sou mãe solteira de três meninos e no momento estou sem emprego porque muitas pessoas dispensaram as diárias do trabalho doméstico na pandemia”, relatou Rosana de Melo, de Luziânia, ao receber a cesta de alimentos na última semana.

Luciana Barbosa e sua família não conheciam o Agro Fraterno. “Há duas semanas perdi o emprego de doméstica em Brasília. Agora, divido a casa com meu filho, minha mãe, dois irmãos e um sobrinho. Fiquei muito feliz porque os alimentos vieram para ajudar nesse momento. Os produtos são muito bons”, disse.

Cada cesta contém arroz, feijão, açúcar, óleo de soja, sal, macarrão, molho de tomate, flocos de milho, macarrão instantâneo, fubá, café, farinha de mandioca, sardinha em lata e leite em pó.

As histórias de vida de Rosana e Luciana são parecidas com a situação de Vânia Teles. Ela era empregada doméstica na casa de comerciantes em Luziânia, mas como o comércio ficou muito tempo fechado, acabou sendo dispensada do emprego.

“Na hora em que eu abri o portão e vi o pessoal com a cesta de alimentos, meu coração disparou de alegria. Vou alimentar minhas filhas de 12 e 14 anos. Receber alimentos, na minha situação, é uma benção de Deus”, disse Vânia.

Na área rural de Luziânia, a família de Rubens Barbosa também passa por um momento difícil. Ele e a esposa, Débora Borges, têm quatro crianças com idades de 11 anos, 7 anos, 3 anos e uma recém-nascida de apenas um mês.

“O trabalho diminuiu muito. Faço roçagem, construo cercas em áreas rurais, o que surgir eu pego porque não é fácil ver um filho com fome. A cesta de alimentos do Agro Fraterno chegou na hora certa. Não tinha açúcar para o dia seguinte”, afirmou Rubens.

Maria de Lourdes Ferreira foi a primeira a receber a doação em Luziânia. Ela vive com a ajuda do benefício de um salário mínimo que é dado à filha, portadora de uma doença genética rara. Ela dedica todo o tempo aos cuidados com a primogênita e às vezes conta com o apoio das outras filhas e do irmão. “Os alimentos vieram em boa hora e é muito bom saber que há pessoas que se lembram de quem precisa”, disse.

Outra beneficiada pelo programa foi Antônia de Jesus, que também vive com a ajuda do benefício concedido ao filho especial. “A esperança é a última que morre. Que Deus toque o coração de mais pessoas para ajudar quem precisa”.

No município de Luziânia a entrega foi acompanhada pelo vice-presidente da Central de Associações de Pequenos Produtores Rurais de Luziânia (Caprul), Jorge Meireles.

“Tem pessoas que choram de alegria. É muito gratificante participar dessa ação do setor agropecuário”, disse Meireles, que também é presidente da Comissão de Empreendedores Familiares da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg).

A coordenadora da Regional Leste do Senar de Goiás, que abrange os cinco municípios goianos onde o Agro Fraterno foi iniciado, Vanessa Batista Vaz, afirmou que “essa iniciativa é valiosa porque demonstra, na prática, que o setor agropecuário brasileiro é forte e unido para ajudar as pessoas que estão em dificuldade”.

Para saber como participar, acesse o www.agrofraterno.com.br

 

 

Clique na imagem para escolher um dos planos e venha falar conosco.    

spot_img

Faça seu comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_imgspot_img

Artigos Relacionados

spot_img

Siga-nos!

2,198FãsCurtir
148SeguidoresSeguir
5,820InscritosInscrever

Últimas postagens